Assembleia Nacional angolana elegeu novos primeiro e segundo vice-presidentes

A Assembleia Nacional de Angola elegeu hoje a primeira e segunda vice-presidentes do parlamento angolano, bem como dos primeiro e segundo secretários da mesa, todos do grupo parlamentar maioritário, MPLA.

Por solicitação do grupo parlamentar do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), com caráter de urgência, a sessão extraordinária da Assembleia Nacional elegeu Emília Carlota Dias como primeira vice-presidente e Susana de Melo como segunda vice-presidente.

Para os lugares de primeiro secretário da mesa foi eleito Raul Augusto Lima, e de segundo secretário da mesa, Manuel Lopes Moniz Dembo.

Emília Carlota Dias substitui a anterior primeira vice-presidente da Assembleia Nacional, Joana Lina, nomeada governadora da província do Huambo, enquanto Susana de Melo substitui Francisco Higino Carneiro.

A reunião plenária extraordinária de hoje serviu também para a movimentação de deputados nomeados para o exercício de funções incompatíveis, como os casos de Joana Lina, Pereira Alfredo, Virgílio Tyova e Pedro Makita Júlia, nomeados governadores das províncias do Huambo, Bié, Cunene e Zaire, respetivamente.

Também hoje cessou a suspensão de mandato de deputado Virgílio de Fontes Pereira, antigo líder da bancada parlamentar do MPLA, que passa a integrar a Comissão de Administração do Estado e Poder Local da Assembleia Nacional.

Retomaram também hoje os seus lugares os deputados Álvaro Boavida Neto, João Marcelino Tyipingue, José Joana André, João Baptista Kussumua e Kundi Paihama, que haviam suspenso o seu mandato por ocuparem os cargos de governadores das províncias do Bié, Huíla, Zaire, Huambo e Cunene, respetivamente.

Para ocupar a vaga deixada por Pereira Alfredo, atualmente à frente da governação do Bié, entrou a deputada Ginga Afonso dos Santos, enquanto cessam efetividade de deputados Ermelinda Máquina, Maria Salomé Tayeva e Agostinho Ndjaka, todos do MPLA.

A Assembleia Nacional de Angola é composta por 220 deputados, sendo 150 do MPLA, partido no poder, e 51 da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), maior partido da oposição angolana.

A Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), conta com 16 deputados, o Partido da Renovação Social (PRS) com dois, e a Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) apenas com um.

Os trabalhos parlamentares, interrompidos para férias dos deputados a 15 de agosto, serão retomados na próxima segunda-feira, com uma reunião plenária solene de abertura da 2.ª Sessão legislativas da IV Legislatura, em que o Presidente de Angola, João Lourenço, profere uma intervenção sobre o "Estado da Nação".

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Sexta, 12 Outubro 2018 20:59
. .
.
.