Mbanza Kongo é Património da Humanidade

O Centro Histórico da Cidade de Mbanza Kongo ganhou neste sábado (8 de Julho de 2017) o estatuto de Património Mundial, fruto da inclusão na lista de bens e sítios culturais, protegidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Centro Histórico de Mbanza Kongo entra na rota do mundo como Património Mundial Zaire: Mbanza Kongo e sua história na África Central Cronologia de Mbanza Kongo - Cidade a Desenterrar para Preservar

Desde a fundação do reino do Kongo no século XIII, a cidade de Mbanza Kongo foi a capital, o centro político, económico, social e cultural, sede do rei e a sua corte, e centro das decisões.

Mbanza Kongo foi, no século XVII, a maior vila da Costa Ocidental da África Central, com uma densidade populacional de 40 mil habitantes (nativas) e quatro mil europeus.

Com o seu declínio, a cidade que se encontrava no centro do reino em plena “idade de ouro” transformou-se numa vila mística e espiritual do grupo etnolinguístico kikongo e albergou as repúblicas de Angola, Democrática do Congo, Congo Brazzaville e Gabão.

Com uma superfície de 7 mil e 651 quilómetros quadrados, Mbanza Kongo é limitado a norte com o município do Kuimba e pela RDC, a sul e a este com a província do Uíge e a oeste com os municípios do Tomboco e Nóqui.

Com uma população estimada em 155 mil e 174 habitantes (dados do último censo), a cidade de Mbanza Kongo possui cinco bairros, nomeadamente Sagrada Esperança, 4 de Fevereiro, 11 de Novembro, Álvaro Buta e Martins Kidito.

Rate this item
(0 votes)
. .
.
.