Voz de Angola - Opinião

E o que ficou provado?

A covardia, medo e hipocrisia dos que fingem que o contestam, também ficou bem claro de que JES é o MPLA e o MPLA é o JES, quanto aos restantes não passam de simples seguidores arrastados pela sua pujança segurança e confiança.

A minha entrevista a Voz da América (VOA), no programa Angola fala só, da Sexta-feira, 02, está a provocar muito questionamento por parte dos simpatizantes de Partidos da oposição Angolana por ter dito que Se (condicional) João Lourenço não mudar no sentido negativo, se continuar com este estilo, eu não vejo neste momento ninguém na oposição política, na sociedade civil verdadeira (excluir Ajprz, Amangola, Movimento Nacional Espontâneo (MNE), Kabuscorp, etc.) e líderes religiosos, capaz de fazer melhor.

Acrescentei, contudo, que "O salu otondua ku mfoko, kekuyantiku ko" (E no fim que se conclui uma obra) - diz uma sabedoria Kikongo.

Pois, no início eu apoiei JLo, devido à humildade e a clareza no seu discurso, que demonstrou na Assembleia nacional, mas depois da sua conferência de imprensa colectiva deixei de lhe apoiar, por ter dito que a despartidarização não é nomear um líder da oposição ao cargo de vice-presidente, ...".

Com esta resposta, JLo demonstrou que ele e presidente exclusivo dos membros do MPLA.

E a popularidade dele (JLo) está em queda livre.

Mesmo assim, JLo continua a lutar entre a parede e a espada, Ele procura de um lado agradar o povo, do outro assegurar a confiança do seu MPLA.

Peço a quem discorda comigo para me citar só dois ou três nomes; um na política, outro na sociedade civil e um líder religioso que, como Presidente da República, fariam melhor que JLo hoje: humilde (sem culto de personalidade), aberto e bantu.

No futuro, pode ser.

Os Partidos políticos e as igrejas em Angola refletem as imagens dos seus líderes.

O MPLA reflete a imagem de JES, a UNITA de Samakuva, a CASA-CE de Chivukuvuku, o, a FNLA de Ngonda e Kabangu, o PRS de Kuangana e Benedito Daniel, o Pdp-Ana de Sediangani, o BD de JPA ou FVL, as igrejas idem, os activistas cívicos e jornalistas cada se acha superior ao outro, etc.

E a falta de democracia e de tolerância que provoca as dissidências nestas formações políticas e religiões.

Só se foge de um mal.

Cuidado com as demagogias, os fingimentos e as aparências enganadoras.

Muitos deles são lobos vestidos de pele de carneiros.

Viva com eles para os conhecer melhor.

Tunga yandi wanzaya e fu

(Viva com ele para lhe conhecer)

Augusto Makuta

O quatro de fevereiro é uma data memorável, reservada pelo sentimento de luta e de renascimento do País. Neste ângulo, a vinda de Sua Excelência Senhor Presidente da República de Angola Digníssimo Dr. João Manuel Gonçalves Lourenço, pagou para Angola o acontecer de uma nova, caracterizada pelo renascimento do angolano no angolano, de Angola em África, por uma pátria contrária ao passado, onde a corrupção é vista como um vírus de prejuízo capital sobre a economia de mercado, sobre o progresso do País, sobre o crescimento individual de cada um de nós angolanos, colocando em causa a imagem do País na óptica internacional e fazendo do fossilismo a palavra fundamental para expuser Angola.

O título deste texto parece estranho e até contraditório. Como é que alguém já falecido estaria preso? Antes de desenvolver o assunto, permitam-me, por introito, fazer uma nota prévia.

O Orçamento Geral do Estado (OGE)  foi hoje dia 18/01 aprovado na generalidade com 144 votos a favor, 56 abstenções e nenhum voto contra. Marca o início de um novo ciclo, sendo também o primeiro orçamento sem nenhum voto contra, considerado como orçamento de transição entre a anterior gestão sobre a égide o ex-presidente José Eduardo dos Santos para a nova Gestão tendo a testa João Lourenço.