Voz de Angola - Opinião

“Angola: Santos avisa MPLA de que não vai a votos em 2017”. A notícia a que reporta este título, datada de 14 de Novembro de 2016, foi divulgada através de um Flash pelos assinantes do Africa Monitor Intelligence. Foi a primeira vez que tal foi noticiado, numa altura de grande especulação, em que a “vox populi” (e alguma comunicação social) dizia exactamente o contrário - que dos Santos iria agarrar-se ao lugar.

Por Paulo Guilherme

"Por anos a fio, o empresário Jorge Gaudens Pontes Sebastião demonstrou ter garra empresarial com negócios supostamente sustentáveis quando na verdade os dinheiros provinham de esquemas de corrupção através do Fundo Soberano de Angola.

Por Pedro Malembe

Bicefalia na política pode ser entendida como a existência de dois poderes, oriundos da mesma força política, que influenciam o mesmo centro do poder, e coabitação política como a existência de dois poderes diferentes, oriundos de diferentes forças políticas, mas que entretanto estão “condenados”, por força das circunstâncias, a se relacionarem entre si.

Por Eleazar Van-Dúnem

Sua Excelência Senhor Presidente da República de Angola Dr. João Lourenço, é a voz mais rara que se acendeu na advocacia legítima dos interesses do povo todo de Cabinda ao Cunene e do mar ao leste, o verdadeiro advogado do povo angolano todo, fazendo face aos ventos turbilhonantes que se batem de frente e de trás, de cima e de baixo, contra os interesses do povo angolano no seu sentido lato, Presidente João Lourenço, é o ícone da actualidade, marcando uma grande revolução expressa no novo sentido de realizar Angola.

Por João Henrique Rodilson Hungulo

José Eduardo dos Santos chegou ao cadeirão do Poder em Angola em 21 de Setembro de 1979. Por lá se manteve até 2017, fazendo e alimentando uma horda de bajuladores que, pensava ele, seriam incapazes de alguma vez o apunhalar pelas costas. Enganou-se. Mal se levantou do cadeirão para o passar a João Lourenço sentiu logo as primeiras punhaladas.

Por Orlando Castro