SIC anuncia detenção de líder do grupo que matou apresentadora da TPA

O líder do grupo suspeito do homicídio, em 2017, de uma popular apresentadora da Televisão Pública de Angola (TPA), e de outro cidadão que a acompanhava, foi hoje detido, anunciou o Serviço de Investigação Criminal (SIC).

O homicídio de Beatriz Fernandes e de Jomance Muxito, em outubro, encontrados mortos nos arredores de Luanda, chocou a opinião pública angolana.

O SIC anunciou em comunicado que, "após um longo, aturado, paciente e profícuo trabalho de investigação criminal", foi possível realizar detenção do cidadão da República Democrática do Congo (RDCongo), conhecido por "Guelor", em Luanda.

A nota adianta que o mesmo é apontado como o líder do grupo e foi detido em companhia de outro comparsa, quando se preparavam para cometer outros crimes, bem como apreendidas cinco armas de fogo do tipo AKM e duas viaturas, entre outros vários meios.

Segundo as autoridades policiais angolanas, o suposto líder do grupo é violento e comete sempre os seus atos sob efeito de álcool e drogas, refugiando-se nas províncias mais a norte de Angola e na RDCongo, onde comercializava as viaturas e outros artigos roubados.

Entre outras ações, o grupo realizava roubos qualificados, muitos deles culminando com homicídios voluntários por disparo de arma de fogo, como foi o caso de Beatriz Fernandes e Jomance Muxito.

"Os mesmos são suspeitos de coautoria em vários outros crimes, cuja violência mexeu com o sentimento de segurança dos habitantes da capital", refere o documento do SIC, salientando que a detenção do suposto líder do grupo vai permitir o esclarecimento de vários casos de roubo qualificado, raptos e homicídios ocorridos nos últimos meses.

Alguns dias após a morte de Beatriz Fernandes e Jomance Muxito, cujos corpos foram encontrados em Viana, a polícia apresentou quatro estrangeiros, supostamente envolvidos no crime.

A apresentadora encontrava-se na companhia dos seus filhos menores e a outra vítima, quando foi raptada pelo grupo, tendo as crianças sido entregues, em pânico, numa esquadra da capital.

O móbil do crime seria o furto da viatura da apresentadora.

Rate this item
(0 votes)
- -