Tribunal Militar condena subchefe da PIR a 23 anos de prisão maior

O primeiro subchefe da Polícia de Intervenção Rápida (PIR), David Ramos dos Santos, foi condenado na quinta-feira, pelo Tribunal da Região Militar Cabinda, a 23 anos de prisão maior, por ter assassinado a sua colega Finucha Casimiro, de 27 anos de idade, a tiro.

O cidadão em causa, segundo o acórdão do tribunal, deverá indemnizar a família da malograda, com dois milhões e 500 mil kwanzas, e foi expulso da Polícia.

O facto aconteceu no dia 30 de Dezembro de 2017, na 11ª Unidade da PIR, localizada no bairro A Resistência, cidade de Cabinda, quando David dos Santos surpreendeu Finucha Casimiro no vestiário feminino e, depois de troca de palavras, disparou contra ela.

Mesmo ferida, a jovem correu para fora do vestiário em busca de ajuda, mas David dos Santos fez mais quatro disparos à queima-roupa contra a vítima, acabando por morrer de imediato, em plena unidade da Polícia de Intervenção Rápida.

Familiares e amigos da malograda afirmam que Finucha decidiu dar por terminada a relação amorosa com David Ramos dos Santos, que passou a ameaçá-la de morte.

Rate this item
(0 votes)
- -