Nove mil inquilinos das centralidades devem rendas ao Fundo Habitacional

Cerca de cinquenta porcento dos cidadãos que adquiriram habitações ao Estado angolano não cumprem com as obrigações financeiras, apesar de a retenção ser feita na fonte, revelou nesta sexta-feira, em Luanda, o novo presidente da comissão executiva do Fundo de Fomento Habitacional, Hermenegildo Gaspar.

Para contrapor essa situação, o fundo vai trabalhar com os bancos que neste momento estão obrigados a fazer as retenções das prestações para reduzir o elevado número de pagamentos em falta.

O responsável, que falava à imprensa, depois de ser empossado pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira, disse o Fundo que neste momento controla perto de nove mil fracções que o Estado entregou aos funcionários públicos, principalmente distribuídas na centralidade do Sequele e Kilamba.

O fundo vai focar agora a sua atenção na melhoria do processo de pagamento.

A administração vai olhar também para necessidade de melhoria dos sistemas informáticos do Fundo, para harmonizar o processo de pagamento das habitações que o Estado foi cedendo durante os últimos anos.  

“No âmbito do Projecto Horizonte Kora Angola temos vindo a receber fracções no Huambo, Bié e esperamos que o número de fracções recebidas pelo Fundo venha a aumentar, porque essas casas estão em processo de construção e outras já nos foram entregues. O processo de venda está a terminar, particularmente no Bailundo, Cuito e pensamos que até final do ano teremos grandes partes dessas fracções”, disse.  

O fundo é a entidade pública encarregue de zelar pela execução da política habitacional do Estado, tendo uma comissão executiva que faz a gestão e um conselho estratégico, composto pelo ministro das Finanças, ministra do Ordenamento do Território e Habitação e governador do Banco Nacional de Angola (BNA).  

Além do presidente da comissão executiva do Fundo de Fomento Habitacional, Hermenegildo Gaspar, foram igualmente empossados Adilson de Sousa e Silva e Rafael Lopes, como vogal, e Osvaldo de lemos Macaia e Hernani Sanata como vogal do conselho fiscal da Comissão de Mercado de Capitais (CMC) e outros responsáveis do Ministério das Finanças.  

Na ocasião, o ministro das Finanças, Archer Mangueira, desejou sucessos aos responsáveis do Fundo do Fomento Habitacional, tendo em conta os desafios no âmbito do programa do Executivo.

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Sábado, 12 Maio 2018 10:17
. .
.
.