Voz de Angola - Sociedade

A comissão de professores da Escola Portuguesa de Luanda (EPL) justifica a greve interpolada iniciada hoje com o incumprimento contratual, após o chumbo dos pais a um orçamento retificativo para 2018, com aumento da propina mensal.

O Tribunal Provincial de Luanda adiou hoje a segunda sessão de julgamento do jornalista angolano Rafael Marques, devido a ausência do ofendido, o ex-procurador-geral da República de Angola João Maria de Sousa, que deverá ser ouvido na sede da procuradoria.

A polícia angolana deteve, no posto fronteiriço do Luvo, norte do país, um cidadão nacional com milhares de notas, dólares e kwanzas, coladas ao corpo, equivalente a 34.000 euros, dinheiro que transportava, ilegalmente, para a República Democrática do Congo.

Segundo informação reunida pela agência Lusa junto da EPL, o protesto dos professores, com dias de greve interpolados a 17, 18 e 19 de abril, 8, 9 e 10 de maio, e 08, 19 e 27 de junho, passa por reivindicações salariais, nomeadamente devido à inflação galopante em Angola e à desvalorização, superior a 30%, do kwanza para o euro, desde janeiro.

O julgamento do activista angolano Rafael Marques acusado de "injúria e ultraje a órgão de soberania", devido a um artigo em que ele levanta suspeitas por parte do antigo Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa, foi retomado nesta segunda-feira, 16, no Tribunal Provincial de Luanda.