BNA liberaliza taxa de câmbio e agora já pode flutuar livremente

Banco Central ajustou de 17% para 22% o coeficiente de reservas obrigatórias para moeda nacional. Ou seja, ao mesmo tempo que liberaliza a taxa de câmbio, o BNA entende que há excesso de Kwanzas no mercado.

O Banco Nacional de Angola adoptou hoje a medida de liberalização do mercado cambial, permitindo que a taxa de câmbio formal flutue livremente até encontrar um ponto de equilíbrio em relação ao mercado informal.

O Governador do BNA, José de Lima Massano, falando em conferência de imprensa há instantes, referiu que a expectativa é que este ponto de equilíbrio ocorra até ao final do ano, embora admita que poderá ocorrer aquilo que os economistas chamam de overshoot, que é uma variação, às vezes, para níveis incontroláveis.

Neste sentido, para consolidar o novo regime cambial, o Comité de Política Monetária decidiu remover a margem de 2% sobre a taxa de câmbio de referência, praticada pelos bancos comerciais na comercialização de moeda estrangeira no mercado interbancário e aos seus clientes, manter inalterada a taxa básica de juro “Taxa BNA” em 15,5%, estabelecer a taxa de juro de 10% para a facilidade permanente de absorção de liquidez, com maturidade de 7 dias.

O BNA optou também por manter a taxa de juro de 0% para a facilidade permanente de absorção de liquidez, com maturidade overnight e ajustar de 17% para 22% o coeficiente de reservas obrigatórias para moeda nacional. Ou seja, ao mesmo tempo que liberaliza a taxa de câmbio, o BNA entende que há excesso de Kwanzas no mercado e está a obrigar os bancos a devolver.

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Quinta, 24 Outubro 2019 12:07
. .
.
.