Argélia vence Senegal e é campeã da Copa Africana das Nações 2019

A Argélia conquistou o título da Copa Africana das Nações ao superar Senegal hoje, no Estádio Internacional do Cairo, no Egito. Com gol de Baghdad Bounedjah logo no começo do jogo, os argelinos venceram por 1 a 0 e levantaram a taça da competição pela segunda vez.

O único gol da partida saiu logo aos dois minutos do primeiro tempo. Após jogada iniciada com roubada de bola no meio campo, o atacante Bounedjah chutou de fora da área. A bola desviou na zaga e encobriu o goleiro, que estava adiantado.

Com a vantagem no placar, a seleção argelina diminuiu o ritmo, e só deu Senegal em campo. Mesmo com posse de bola de 61% na primeira etapa, os senegaleses não conseguiram marcar o gol.

No intervalo, ainda em campo, jogadores das duas seleções se estranharam, causando um pequeno tumulto, mas seguiram para os vestiários sem advertências.

Já na volta para o segundo tempo, o árbitro chegou a marcar um pênalti para Senegal, mas voltou atrás após intervenção do VAR. Após cruzamento para a área, a bola bateu no braço do jogador argelino, que não teve a intenção de fazer o desvio na interpretação do juiz.

Com o resultado, os argelinos conquistaram o bicampeonato da Copa Africana. O último título foi em 1990.

Adeptos senegaleses em Luanda desolados pela derrota

Adeptos senegaleses manifestaram-se hoje, em Luanda, desolados pela derrota da selecção do seu país diante da similar argelina, por 0-1, no jogo da final da 32ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN2019) em futebol, disputado no Egipto.

Numa ronda efetuada pela Angop, nas principais zonas e bairros de maior concentração de cidadãos daquele país e de outros da região oeste do continente, os aficionados, que durante a partida ainda tinham esperança no triunfo, após o apito final, demonstraram alguma “frustração” e descontentamento pelo resultado negativo.

Da constatação, com realce para o bairro Mártires de Kifangondo, onde havia uma grande concentração de comerciantes, que exibiam bandeiras (vermelho, verde e amarelo) e camisolas do país, os senegaleses evidenciaram semblantes carregados e de puro desconsolo, observando-se o escorrer de algumas lágrimas.

Num breve contacto, no geral de preferência em anonimato, alguns interpelados, apesar do relativo conformismo, teceram algumas críticas a actuação do árbitro do encontro, principalmente por não sancionamento da bola mão a um jogador adversário, que possivelmente daria o empate.

Por sua vez, Alimo Diabaté, em nome dos demais compatriotas, referiu que a equipa teve um comportamento digno, embora pudesse fazer mais na luta pela procura da vitória.

Alguns cidadãos angolanos que também juntaram-se aos estrangeiros e apoiavam a equipa senegalesa contra os argelinos, no final também expressaram tristeza pelo desaire da parte escolhida.

Em Angola, com predominância para a capital do país, existe uma grande comunidade oeste africano, que se dedicam ao comércio.

Quanto ao triunfo, o único golo do desafio, disputado no estádio internacional do Cairo (Egipto), foi apontado por Bounedjah, aos dois minutos do primeiro tempo.

Os argelinos conseguem assim o segundo título no historial, depois da consagração em 1990.

Rate this item
(0 votes)
Last modified on Sábado, 20 Julho 2019 00:35
. .
.
.