Em Angola hoje, fala – se de valor da vida como um princípio inviolável desde o ponto de vista constitucional, sem mais costume como sendo uma forma fácil de doirar discursos políticos, ao passo que a vida em Angola já deixou de ter alguma dignidade como vida de um ser humano.

A nacionalização não pode ser "a ferro e fogo". É extremamente errada a ideia segundo a qual, por sermos angolanos e estarmos em Angola, as nossas empresas angolanas tenham de ser favorecidas em concursos públicos na disputa directa com empresas estrangeiras.

Por: Carlos Alberto (Cidadão e Jornalista)

Vanguarda previu na sua edição número 92, de 2 de Novembro de 2018, num raio-x feito aos ministros, que o concurso internacional para selecção de um quarto operador privado de telefonia móvel causaria dissabores ao ministro, devido o seu histórico de ausência de disrupção política. E hoje ficou provado.

Por António Pedro*

De todos os heróis e heroínas que colocaram as suas mãos para a grandeza deste País, no plano da construção de uma Angola livre e desenvolvida, não há algum que tenha feito mais que José Eduardo dos Santos ao longo da história. Oriunda da prole do lendário Ngola Kiluanje, a Rainha Njinga Mbandi deu, nos séculos XVI-XVII, um exemplo de tenacidade na defesa do seu povo.

Há o outro lado da história que me parece não ter sido contada

Xé eu não estou contra o facto deste senhor só ter dado com a língua aos dentes só mesmo agora que a batata parece estar quente nas mãos de muita gente, pois as vezes mais vale tarde do que nunca.

Por Fernando Vumby