Várias pessoas feridas numa luta para ver urna do ex-líder do Zimbabué

Várias pessoas ficaram feridas hoje quando tentavam aproximar-se para ver o caixão do ex-Presidente do Zimbabué Robert Mugabe, no estádio desportivo Rufaro, em Harare, com milhares de pessoas a lutar nas bancadas.

A polícia tentou segurar a multidão, mas acabou por não conseguir controlar a situação e as pessoas conseguiram ultrapasar a barreira e aproximar-se do caixão.

No meio da confusão, algumas pessoas foram levadas em macas, não se sabendo até agora detalhes sobre a gravidade dos ferimentos.

Vários feridos, que conseguiam deslocar-se sozinhos, foram tratados pelos médicos da Cruz Vermelha, organização que se encontrava no estádio, localizado no bairro Mbare, em Harare, para prestar apoio, caso fosse necessário.

A polícia de choque conseguiu mais tarde restabelecer a ordem, por vezes usando bastões.

A esposa de Mugabe, Grace Mugabe, sentou-se no pódio, enquanto o caixão de Mugabe foi exposto numa tenda no centro do campo de jogos, numa cerimónia marcada por cânticos.

Mais tarde, um helicóptero militar aterrou no campo para recolher e transportar a urna do ex-chefe de Estado do Zimbabué.

A controvérsia sobre onde e quando Mugabe será enterrado frustrou as expectativas dos zimbabueanos, que gostariam de prestar uma última homenagem ao líder falecido.

Mugabe não será enterrado no domingo no Heroes D'Acre, anunciou hoje o porta-voz da família, Leo Mugabe, que informou que o enterro será um assunto particular e familiar.

"Acabou de haver discussões entre o Presidente [Emmerson] Mnangagwa e Mai [esposa] de Mugabe e parece que nada mudou", disse o sobrinho do ex-Presidente.

"A família disse que vai fazer um enterro particular. Não queremos que o público venha. Não queremos que vocês saibam onde ele será enterrado. Não estamos a preparar o enterro para domingo. Ainda não há nenhuma data para o enterro", comentou.

O anúncio foi feito depois de o atual Presidente do Zimbabué, Emmerson Mnangagwa, se encontrar com a viúva de Mugabe, Grace, e outros membros da família para tentar resolver a questão do funeral.

Em vez de ser feito o enterro no domingo, o corpo de Mugabe estará exposto ao público, num local próximo do lugar de nascimento de Mugabe, no distrito de Zvimba, disse Leo Mugabe, que acrescentou que a família ainda não decidiu se ele seria enterrado em Zvimba.

Falando na casa de Mugabe, Mnangagwa disse que o seu Governo respeitaria a vontade da família em relação às cerimónias fúnebres.

Mugabe foi deposto em novembro de 2017 pelos militares do Zimbábue e pelo seu ex-aliado Mnangagwa.

Grace Mugabe e outros membros da família ainda têm ressentimentos relativamente a este facto, razão que aparentemente esteve na base da recusa dos planos para a realização de um enterro de Estado para Robert Mugabe.

Logo após a morte de Mugabe, Leo Mugabe disse que o ex-homem forte morreu como "um homem muito amargurado", porque se sentiu traído por Mnangagwa e pelos generais do exército, que eram seus aliados durante quase quatro décadas e até o colocarem em prisão domiciliária e o forçaram a renunciar ao cargo de Presidente do Zimbabué.

O Governo tinha anunciado anteriormente que Mugabe seria enterrado no monumento dos Heróis do Acre, um local de sepultura reservado para as principais autoridades do partido do governo, ZANU-PF, do Zimbabué, que contribuíram para acabar com o domínio colonial branco.

Há muito que se supunha que Mugabe seria enterrado no Acre dos Heróis. Mugabe supervisionara a construção daquele monumento, executado pela Coreia do Norte, no topo de uma colina, exibindo uma grandiosa escultura imponente de guerrilheiros.

Rate this item
(0 votes)
. .
.
.